Loading...
Home2019-02-19T13:52:17-03:00

CRP 06\94101

  • Pós Graduanda no Setor de Cefaleia – UNIFESP

  • Neuropsicóloga Pós Graduada pelo Instituto Neurológico de São Paulo – Beneficência Portuguesa de São Paulo

  • Paliativista Pós Graduada pela Faculdade de Ciências Médicas Santa Casa de São Paulo

  • Psicóloga Social Graduada pela Universidade de São Paulo – USP / Instituto Francês: Institut de Recherche en Psychothérapie : Psicologia Social

  • Graduada em Psicologia pela Universidade Metodista de São Paulo

  • Membro da Sociedade Brasileira de Neuropsicologia – SBNp

Psicóloga Clínica e Hospitalar com experiência em Saúde Mental e especialização em Neuropsicologia. Linha de atuação pautada na abordagem Cognitiva-Comportamental dando ênfase em uma psicoterapia breve.
Atua em consultório psicológico e hospitais renomados em saúde mental e neurologia como Hospital São Paulo – UNIFESP, Centro de Tratamento Bezerra de Menezes – CTBM, além de lecionar em pós – graduações.

Avaliação Neuropsicológica

Crianças, Adolescentes, Adultos e Idosos

A avaliação neuropsicológica é um processo de investigação utilizado por especialistas com o objetivo de compreender o funcionamento cognitivo-cerebral. A investigação é realizada mediante a aplicação de uma bateria de testes neuropsicológicos que permitem mensurar uma determinada função cognitiva e sua manifestação comportamental. O caráter abrangente dessa investigação exige uma formação especializada.

A avaliação neuropsicológica não se limita apenas a entender o funcionamento cognitivo do paciente, o grau de comprometimento deste e a elaboração de um relatório.

Portanto, a avaliação neuropsicológica tem a função de ir, além das já apontadas, auxiliar na elaboração de um plano de intervenção, que é o que se chama de Reabilitação Neuropsicológica.

Terapia Cognitiva Comportamental

A Terapia Cognitiva Comportamental (TCC) é um tipo de tratamento psicológico que ajuda os pacientes a entenderem os pensamentos e sentimentos que influenciam os comportamentos. A Terapia Cognitiva Comportamental (TCC) é utilizada para tratar uma ampla gama de distúrbios, incluindo fobias, vícios, depressão e ansiedade. Esta terapia é geralmente de curto prazo e focada em ajudar os clientes a lidar com um problema muito específico. Durante o curso do tratamento, as pessoas aprendem a identificar e alterar padrões de pensamento destrutivo ou perturbador que têm uma influência negativa sobre o comportamento.

Na abordagem COGNITIVA-COMPORTAMENTAL usamos quando necessário das habilidades de MINDFULNESS, (consciência plena) para atingir nossas metas. Mindfulness consiste no ato de conscientemente focar a mente no momento presente, sem julgamento e sem apego ao instante. Uma pessoa plenamente atenta está consciente no e do momento presente. É o oposto de estar no” piloto automático”, ou de agir apenas por hábito: tem a ver com a quantidade de consciência que uma pessoa leva para a vida cotidiana.  É um processo intencional de observar, descrever e participar da realidade com uma postura não julgadora, fazendo uma coisa de cada veze sendo efetivo ( ou seja, usando meios hábeis).

Pacientes com depressão apresentam humor deprimido a maior parte do dia, quase todos os dias (sentimento de tristeza, vazio, sem esperança, choro recorrente e desmotivado); perda ou ganho de peso; insônia ou hipersonia; agitação ou retardo psicomotor (lentificação), fadiga ou perda de energia, sentimentos de inutilidade ou de culpa excessiva ou inapropriada (que pode ser delirantes), capacidade diminuída para pensar ou se concentrar, ou indecisão,  pensamentos recorrente de morte, ideação suicida recorrente sem  ou com plano específico para cometer o suicídio (DSM-5).

Apresentam ataques de pânico recorrentes e inesperados. Apresentam palpitações, coração acelerado, taquicardia, sudorese, tremores, sensação de falta de ar ou sufocamento, sensações de asfixia, dor ou desconforto torácico, sensação de tontura, vertigem ou desmaio, calafrios ou ondas de calor, parestesias (sensação de irrealidade) ou despersonalização, medo de perder o controle, medo de morrer. Além, da apreensão ou preocupação persistente acerca do ataque de pânico com medo de perder o controle (DSM-5).

Indivíduos com este transtorno apresentam ansiedade e preocupações excessivas. Dificuldade de controlar a preocupação, inquietação ou sensação de estar com os nervos à flor da pele; fatigabilidade; dificuldade de concentra-se ou sensações de “branco” na mente; irritabilidade; tensão muscular; pertubação. (DSM-5).

Nesta dificuldade de enfrentamento a dor, há pensamento negativos, distorcidos, potencializados e destrutivos. Dificuldade de perceber pontos positivos e lidar com enfrentamentos.

Há dois subtipos ( I e II) , no entanto de forma geral a necessidade de um episódio de mania ou hipomania pode ter sido antecedido ou seguido por episódios depressivos maiores. Tendo em vista que um episódio de mania persiste elevado e expansivo no mínimo por alguns dias.

Há dificuldade no relacionamento conjugal, brigas frequentes, desentendimentos nos objetivos e pensamentos incomuns de vida no entanto, ainda há um sentido e se pode alinhar valores, crenças e objetivos para uma continuidade.

Uma tentativa de suicídio é um comportamento que o indivíduo realizou com pelo menos com algumas intenções de morrer. O comportamento pode ou não levar a lesão ou consequências médicas sérias. Pessoas com estes pensamentos podem não reconhecer a intenção, especialmente em situações em que fazer isto poderia resultar em hospitalização ou causar sofrimento a pessoas amadas (DSM – 5).

Dificuldade de sair do luto, morte do ente querido, Dificuldade de restabelecer a vida cotidiana, pensamentos recorrentes na pessoa falecida, choros recorrentes, desanimo.

Anorexia Nervosa: Apresentam a auto-imagem distorcidas apesar, de magras se percebem acima do peso; fazem restrições da ingestão calórica menor do que necessário; medo intenso de ganhar peso ou de engordar mesmo estando abaixo do peso (DSM-5).

Bulimia Nervosa: Apresentam epsódios de compulsão alimentar logo apos, apresentam culpa inapropriado a fim de impedir ganho de peso, com vômitos induzidos, uso indevido de laxantes; diuréticos ou jejum ou exercícios físicos em execesso (DSM-5).

Apresentam instabilidade nas relações interpessoais e intensos; esforços desesperados para evitar abandono real ou imaginário; impulsividade autodestrutivas (ex: compulsões; abuso de substâncias químicas; sexo e direção irresponsável; instabilidade de humor; sentimentos crônicos de vazio; raiva intensa, inapropriada e com dificuldade de controlá-la (DSM-5).

Indivíduos se sentem sem energia frente ao trabalho e em casa, dificuldade de dormir, de descansar, de lazer, sintomas de tristeza, ansiedade, pensamentos acelerados, alteração no apetite, dores de cabeça frequente, sentimento de culpa e de incapacidade frente ao trabalho. Realizam muitas horas extras ou assumem cargos que não conseguem cumprir os objetivos. Esgotamento mental e físico.

Arrancar os cabelos é seu principal sintoma e de forma recorrente. Pode ocorrer em qualquer parte do corpo que cresça pelos. Pacientes com este transtorno tentam repetidas vezes parar de puxar o cabelo por causar sofrimento principalmente social, profissional e em outras áreas. Se sentem envergonhados, com sensação de perda do controle e constrangimento (DSM- 5).

Tendo em vista que é um medo ou ansiedade correlacionado a presença de uma situação ou objeto particular que pode ser denominado objeto fóbico. Um medo\ ansiedade intenso podendo ter um ataque de pânico. Pode ocorrer com a antecipação da presença ou com a presença real do objeto ou situação. (DSM -5).

Pacientes apresentam aceitação e sofrimento da sua exposição de forma negativa ou alterada que é colocada por um grupo de pessoas. Medo, retraição, depressão, raiva, insegurança, sentimento de inferioridade e incapacidade, pensamentos e crenças distorcidas.

Obsessão são pensamentos repetitivos e persistentes (ex: de contaminação), imagens (ex: cenas violentas) ou impulsos (ex: apunhalar alguém). As obsessões são intrusivas, indesejadas e causam sofrimento e ansiedade na maioria das pessoas. O indivíduo tenta ignorá-las ou suprimi-las que pode gerar uma um pensamento ou ação repetitiva (ex: executando uma compulsão). Compulsão ou rituais são comportamentos repetitivos ( ex: lavar,verificar) ou atos mentais (ex: contar; repetir palavras em silêncio). A compulsão tem como objetivo reduzir o sofrimento da obsessão no entanto, as compulsões não são executadas por prazer. Também apesar de aliviar a obsessão trazem sofrimentos (DSM – 5).

São dificuldades persistentes de pessoas de descartar ou desfazer de pertences, independentemente do seu valor real e pode levar ao acúmulo excessivo, sem necessidade. Dificuldade de qualquer forma de descarte, incluindo jogar fora, vender, dar ou reciclar e sofrem quando enfrentam a perspectiva de descartá-los (DSM – 5).

Sintomas característicos após a exposição a um ou mais eventos traumáticos são: medo, desespero e revivem as emoções traumáticas com medo. Pode-se gerar humor depressivo ou disfórico e pensamentos negativos recorrentes (DSM -5).

Compulsão definido como uma ingestão, de uma quantidade de alimentos maior do que a maioria das pessoas consumiria. Um indicador é a perda de controle e a incapacidade de evitar de comer depois de começar. Os indivíduos com transtorno de compulsão alimentar geralmente sentem vergonha e tentam ocultar (DSM-5).

Há como sintomas, perda do controle do jogo e caso sejam impedidos de jogar, eles se tornam agitados e revoltados. Frequentemente, permanecem longos períodos sem se alimentar ou dormir. Os objetivos pessoais, familiares ou vocacionais são negligenciados (DSM – 5).

Neuropsicologia

Conheça mais sobre a neuropsicologia, métodos, conceitos e os principais motivos que levam as pessoas a buscarem o tratamento nesta área da ciência médica
Publicações e artigos ciêntificos

Newsletter

Newsletter

Deseja se manter informado sobre as novidades na neuropsicologia?

Inscreva-se na nossa newsletter.

Enviaremos conteúdo relevante que pode ajudá-lo com o seu processo de tratamento.

Contatos e Endereços

Horários

Segunda – Sexta

09:00 – 18:00

Sábados

09:00 – 12:00

Endereço 1

R: Vinte e Um de Abril, 210
Sala 6
Rudge Ramos
São Bernardo do Campo – SP
CEP: 09625-070

Endereço 2

R: Tenente Gomes Ribeiro, 182
Conjunto 82
Vila Clementino
São Paulo – SP
CEP: 04039-03

Endereço 3

R: Bela Cintra, 986
Cerqueira César
São Paulo – SP
CEP: 01415-000

Vamos conversar?

Sim

“Se nosso pensamento fica atolado de significados simbólicos distorcidos, pensamentos ilógicos e interpretações erradas, nos tornamos de verdade cegos e surdos.”

Aaron Beck

“Conheça todas as teorias,domine todas as técnicas,mas ao tocar uma alma humana,seja apenas outra alma humana”

Carl Jung

“A terapia cognitiva busca aliviar as tensões psicológicas por meio da correção das concepções errôneas. Ao corrigir as crenças errôneas, podemos acabar com as reações excessivas.”

Aaron Beck

“Se um homem perdeu uma perna ou um olho, ele sabe que perdeu uma perna ou um olho; mas se ele perder a si mesmo, ele não consegue saber disso, porque ele não está mais lá para saber”

Oliver Sack

“Somos aquilo que decidimos esquecer”

Iván Izquierdo

“A medida que nos desenvolvemos, paramos de imitar simplesmente o comportamento de outros ou de reagir automaticamente aos estímulos do ambiente.”

Vygostky

“Não podemos mudar, não podemos nos afastar do que somos, enquanto não aceitarmos profundamente o que somos”

Carl Rogers

“Não somos apenas o que pensamos ser. Somos mais; somos também o que lembramos e aquilo de que nos esquecemos; somos as palavras que trocamos, os enganos que cometemos, os impulsos a que cedemos, sem querer”

Sigmund Freud